Powered by WP Bannerize

Curiosidades

Como evitar ser abduzido por alienígenas, usando coisas simples


Publicado em: 28/05/2018
 

Você acha mesmo que estamos sozinhos nesse universo gigantesco? Tem gente que aposta que sim, mas já mostramos alguns relatos de aparições de extraterrestres que deixam qualquer cético balançado, como você já viu aqui, nessa outra matéria.

 

Muita gente por aí acredita serem reais as possibilidades de qualquer indivíduo ser abduzido por alienígenas a qualquer momento. Aliás, muitos são os relatos de pessoas que juram já ter enfrentado experiências de abdução e de contato direto com alienígenas.

 

Tem até gente que se dedica a estudar o assunto, acredita? Um bom exemplo disso é a ufologista Ann Druffel, que garantiu, em entrevista, que os extraterrestres realmente estão por aí e que não são nada amistosos: estão apenas interessados em estudos a estrutura do corpo humano e fazer experiências conosco.

 

Portanto, pelo sim e pelo não, melhor saber como se defender dessas criaturas e saber como evitar ser abduzido por alienígenas, não acha? Na lista abaixo, como você vai ver, selecionamos alguns técnicas de defesa que os especialistas garantem funcionar contra os ETs.

 

OBS: caro leitor, tenha bom humor! Obviamente, as informações abaixo são apenas uma forma descontraída de lidar com o assunto… (ou não).

 

Como evitar ser abduzido por alienígenas:

1. Ilumine o lugar

 

Quase não se ouve falar em ataques de ETs sob a luz do dia. Isso sugere que eles não gostam de lugares iluminados. Por isso, uma boa forma de evitar ser abduzido por alienígenas é deixando a luzes acesas durante a noite. Usar uma lanterna também pode ser útil.

 

2. Utilize sal

Alguns relatos afirmam que a pele dos ETs é bem parecida com a dos répteis. Se isso for verdade, você pode tentar usar sal para evitar ser abduzido por alienígenas, já que a Ciência aponta esse nosso tempero aparentemente inocente como um agente corrosivo da epiderme desses animais.

 

De repente, se você cercar sua câmera com um círculo de sal pode funcionar como uma barreira contra os extraterrestres.

 

3. Construa uma gaiola

Não é para você pirar, nem nada disso, mas construir uma gaiola que proteja sua cama pode ser uma boa ideia. Isso, claro, partindo do princípio de que a maior parte dos “casos” de abdução acontecem quando os alienígenas estão bem próximos às suas vítimas. Logo, as grades podem evitar essa aproximação dos extraterrestres.

 

4. Ligue o ventilador

Dizem também que um simples ventilador ligado pode manter os alienígenas afastados. Embora não pareça ter lógica alguma nisso, quem entende de extraterrestres diz que o movimento das pás e o barulho que isso faz interfere na capacidade extrassensorial dos ETs.

 

5. Use todas as armas

Quem estuda os ETs garante que eles são criaturas interessadas em fazer apenas experiências físicas em humanos e não estão abertos a diálogo. Portanto, não tente se comunicar com essas criaturas.

 

Se você notar que pode ser um alvo desses seres e pode ser abduzido por alienígenas a qualquer momento, utilize todos os métodos de defesa e prevenção que listamos até aqui. E, em último caso, adota a dica abaixo.

 

6. Ataque certeiro

Pessoas que já foram atacadas por ETs no Arizona relataram que os alienígenas têm uma pele bastante fina, quase transparente, ao ponto de deixar transparecer seus órgãos dentro do corpo.

 

Em último caso, use isso ao seu favor e ataque! Mas é bom que seja um ataque certeiro porque, muito provavelmente, você não vai ter uma segunda chance!

 

E então, acha que está apto a se defender dos extraterrestres agora?

 

E, se você ainda acha que tudo isso não passa de loucura, você deveria conferir esse outro post: EUA divulgam vídeo de óvni e admitem investigação que durou 5 anos.

Fonte: Super Interessante, Mega Curioso



Mitos sobre sexo: muita coisa que você ouve por aí pode ser balela


Publicado em: 25/05/2018
 

Por mais que você seja um rapaz instruído e com um currículo sexual respei­tável, há sempre o que aprender sobre esse assunto

 

Há muita mentira sendo dita e repetida por aí, especialmente em relação às mulheres.

 

Não caia nessas histórias.

 

Mulheres não gozam com penetração

Algumas gozam, sim. Mas a maioria delas chega ao orgasmo com estimulação clitoriana.

 

Algumas inclusive demoram para atingir o clímax, o que exigirá de você um certo empenho no sexo oral.

 

Para facilitar, alterne com estimulação manual.

 

Agora, se você já entendeu que o corpo feminino e a resposta sexual da mulher são diferentes, então sua dose de humildade só lhe trará louros: que tal deixar ela mesma estimular o clitóris enquanto você se preocupa com a penetração? Sacou?

 

Elas só gozam com estimulação clitoriana

Também não é verdade absoluta. Algumas mulheres têm orgasmos com a penetração — a posição em que ela fica por cima é uma das que mais favorecem o orgasmo nessa modalidade.

 

Portanto, auxilie sua parceira segurando-lhe o quadril para dar sustentação, mas deixe que ela se movimente livremente a fim de encontrar um bom caminho.

 

Variar algumas posições ao longo da relação também favorece descobertas.

 

Mulheres grávidas não gostam de sexo

A gravidez deixa os genitais femininos mais irrigados pelo sangue, o que favorece orgasmos intensos.

 

É preciso ter cuidado com os mamilos, que estão sensíveis demais, e com a posição sexual, dependendo do tempo da gestação.

 

Desde que ela esteja se sentindo bem e não tenha nenhuma intercorrência gestacional que impeça a relação sexual e o orgasmo, esqueça questões como “machucar o bebê” ou “provocar problemas”.

 

Mesmo grávida, a mulher gosta de ser desejada sexualmente.

 

Nenhuma mulher gosta de sexo anal

Há as que gostam, as que detestam, as que nunca experimentaram e têm receio ou curiosidade.

 

Na média das que praticam, é mais ou menos assim: elas não o fazem sempre, preferem quando a excitação é grande, logo após terem um orgasmo, pois estão relaxadas, quando o sistema digestivo está funcionando bem e, principalmente, quando o parceiro não tem pressa.

 

Lembre-se de que estamos falando de uma região bem mais sensível, que não tem lubrificação natural.

 

Lá uma aproximação afoita ou mais vigorosa, sem lubrificante, pode realmente machucar. Tem interesse no assunto? Leia O Prazer Secreto, de Celso Marzano.

(Ana Canosa // Abril.com)



Teorias da Conspiração: 5 coisas suspeitas sobre a morte da Princesa Diana


Publicado em: 19/05/2018
 

Um dos casos que, sem sombra de dúvidas, mais deram origem a teorias da conspiração foi o acidente que provocou a morte da Princesa Diana e seu namorado, Dodi Fayed, em agosto de 1997. Marcus Lowth, do portal ListVerse, reuniu algumas delas em uma intrigante lista, e nós do Mega Curioso selecionamos 5 das mais suspeitas para você conferir:

 

1 – Troca de carros estranha

Durante todo o dia, Diana e Dodi circularam por Paris em um Mercedes que, mais tarde, deveria sair para recolher o casal no Hotel Ritz. No entanto, o veículo misteriosamente sofreu uma pane e não pegou — obrigando o motorista a conduzir outro Mercedes.

Pane repentina

Para os teóricos da conspiração, como se a pane repentina não fosse estranho o suficiente, o segundo automóvel acabou saindo para buscar Diana e Dodi sem um carro de reserva, algo bastante incomum, já que o casal costumava circular acompanhado de um automóvel com seguranças — e havia passeado o dia todo com uma equipe por perto.

 

Além disso, também circularam informações de que Diana não estaria usando o cinto de segurança, algo que, segundo vários de seus amigos mais próximos, ela sempre fazia. Por outro lado, o segurança que se encontrava no carro no momento do acidente, Trevor Rees-Jones, estava de cinto — o que não é uma prática comum para esses profissionais, já que o acessório limita os movimentos em caso de uma emergência.

 

2 – Escolha de rota esquisita

Na verdade, na fatídica madrugada do acidente, por alguma razão desconhecida, Henry Paul, o motorista no volante da Mercedes, em vez de seguir pela rota mais curta para levar o casal do Ritz até o apartamento de Dodi, no centro de Paris, ele optou por um caminho mais distante, ao longo do rio Sena — e através do túnel da Pont d’Alma.

 

 Motorista escolheu caminho diferente do habitual

 

Segundo a versão oficial, o motorista teria mudado de caminho para fugir dos paparazzi — que passaram o dia seguindo Dodi e Diana —, o que é até compreensível. O estranho, no entanto, é que a troca de rota teria sido repentina e, curiosamente, nenhuma das 17 câmeras de segurança que existem pelo caminho tomado por Henry Paul estava funcionando quando a Mercedes passou por ali.

 

Isso significa que, segundo os teóricos da conspiração de plantão, imagens vitais que poderiam responder a um sem fim de questões envolvendo o que aconteceu na noite do acidente jamais foram registradas.

 

3 – A controvérsia envolvendo o motorista

Investigações conduzidas na época do acidente revelaram que Henry Paul, o motorista ao volante da Mercedes que levava Dodi e a Princesa Diana, havia bebido na noite do acidente. Entretanto, diversos especialistas teriam vindo a público para criticar os resultados dos exames de sangue e até a forma como a necropsia de Paul foi conduzida, apontando mais de 50 erros básicos que teriam sido cometidos nos procedimentos médicos.

 

Segundo vários especialistas, Henry Paul não estava embriagado

 

Para piorar as coisas, também surgiram suspeitas de que Henry Paul teria conexões com os serviços de inteligência britânico e francês. Além disso, outro fato que chamou a atenção dos teóricos da conspiração é que existem evidências de que o motorista teria recebido vários depósitos de grandes somas de dinheiro em sua conta nos meses que precederam o acidente, o que nunca foi investigado.

 

4 – O resgate da Princesa

Mesmo o lado em que Diana se encontrava no carro não ter sofrido grandes danos aparentes no acidente, as equipes de socorro levaram um longo tempo para retirá-la do veículo. O automóvel bateu contra a 13ª pilastra do túnel às 00:25, e as autoridades receberam a primeira notificação sobre o desastre às 00:26.

 

A ambulância levou quase uma hora para sair com destino ao hospital

 

Os primeiros policiais chegaram ao local do acidente entre 00:28 e 00:30, e tiveram bastante dificuldade em isolar a área e limitar o acesso dos paparazzi. Os bombeiros e a ambulância chegaram às 00:32, mas a Princesa só foi levada do túnel para o hospital à 01:25. Dodi foi pronunciado morto na cena à 01:30.

 

Como se fosse pouco, quando a ambulância finalmente saiu com destino ao hospital, o veículo não passou dos 50 quilômetros por hora, passou reto por um hospital no caminho e ainda deu uma paradinha de cinco minutos no caminho, para aplicar uma injeção de adrenalina em Diana.

 

Segundo o motorista da ambulância, o médico a bordo teria pedido que ele dirigisse em baixíssima velocidade (mesmo em se tratando de uma emergência grave), com o objetivo de salvar a vida da Princesa. Já sobre a equipe ter passado por um hospital e ter seguido adiante até outro, a razão seria que havia um time preparado para receber a emergência no segundo local.

 

Ademais, sobre o motivo de a ambulância ter demorado tanto tempo para sair do túnel com destino ao hospital, o time de resgate explicou que os médicos tiveram que estabilizar as condições de Diana antes de partir. Mas, os teóricos da conspiração estão convencidos que, se a Princesa tivesse sido levada imediatamente, suas chances de sobrevivência seriam muito maiores — e que tudo foi orquestrado para que ela morresse.

 

5 – Ameaças

Durante as investigações sobre a morte de Diana, veio à tona uma carta que a Princesa teria escrito a Paul Burrell, mordomo e amigo pessoal dela. Na nota, ela claramente diz que suspeitava que a Família Real e o Príncipe de Gales, seu então marido, estavam planejando acabar com a sua vida.

 

Essa seria uma cópia da tal nota enviada por Diana a Burrell

 

A carta foi enviada a Burrell em outubro de 1993, dez meses depois de a separação dela ser anunciada, e o mais intrigante é que, na nota, Diana revela que seu ex-marido pretendia matá-la e que ela morreria em um acidente de carro. A carta foi tornada pública e, na época, e diversas pessoas próximas à Princesa lançaram a suspeita de que o mordomo podia ter forjado a letra de Lady Di — mas é claro que os teóricos da conspiração não se deixaram levar.

*Pubicado originalmente em 28/10/2016.

(megacurioso)



Conheça o homem que não toma banho há mais de 60 anos


Publicado em: 25/04/2018
 

Esse homem é a prova de que é possível viver sem tomar banho, embora seu estilo de vida seja um tanto questionável. Com 80 anos de idade, Amou Haji, morador da aldeia Deigah, na província de Fars, no sul do Irã, tomou um banho pela última vez quando tinha apenas 20 anos. Ele acredita que a limpeza traz doenças.

 

Ele detesta tanto o contato com a água que até mesmo sugerir um banho a ele o torna muito irritado. E tanto tempo sem tomar banho o torna uma pessoa quase irreconhecível – é praticamente da cor da terra, se camuflando às vezes perfeitamente em seu ambiente. De fato, quando ele fica parado, se parece com uma estátua real.

 

 

Além de água, ele também odeia alimentos frescos e água potável. Sua dieta consiste de grandes quantidades de carne de porco-espinho podre, e bebe cerca de 5 litros de água por dia – não água que nós bebemos, mas sim uma água proveniente de uma grande lata de óleo enferrujada.

(misteriosdomundo)

 

Mistérios do Mundo

 

Além disso, Haji fuma, mas não o tabaco tradicional. Em vez disso, ele preenche seu cachimbo com fezes de animais. Cortar o cabelo? Nem pensar. Ele queima aos poucos com uma chama. No inverno, sua cabeça fica aquecida com a ajuda de um capacete de guerra velho.

 

Mistérios do Mundo

 

Como você pode imaginar, Haji também não tem uma casa, o que para ele não é nenhum problema. Longe de qualquer contato com o mundo civilizado, ele vive um buraco no chão, parecido com um túmulo. De vez em quando, dorme em um barraco aberto de tijolo construído pelos aldeões como um gesto de gentileza.

 



Conheça o significado do nome dos estados brasileiros


Publicado em: 14/04/2018
 

A etimologia dos nomes das unidades federativas do Brasil é variada, parte nomes tem sua origem baseada nas línguas tupi-guaranis, enquanto que outros na língua portuguesa.

 

A proposta deste texto é falar brevemente acerca do significado do nome dos estados, suas origens e do distrito federal, contando brevemente a história da origem destes estados, pois embora já fossem ocupados por povos indígenas, tais regiões não eram chamadas pelos nomes que conhecemos.

 

 

 

Slide 2 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Acre – o nome provavelmente vem de ‘aquiri’, corruptela de ‘uwákürü’, vocábulo do dialeto Ipurinã que denominava um rio local. Conta a História que, em 1878, o colonizador João Gabriel de Carvalho Melo fez um pedido por escrito a um comerciante paraense de mercadorias destinadas à ‘boca do rio Aquiri’. Só que o comerciante não entendeu a letra de Melo, que parecia ter escrito algo como ‘acri’ ou ‘aqri’, e as compras foram entregues ao colonizador com o destino ‘rio acre’.

 

Slide 4 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Alagoas – deriva dos numerosos lagos e lagoas que banham a região. Só Maceió, a capital, possui 17 lagoas, entre mais de 30 em todo o Estado.

 

Slide 6 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Amapá – a origem desse nome é controversa. Na língua tupi, o nome Amapá significa ‘o lugar da chuva’ – ‘ama’ (chuva) e ‘paba’ (lugar, estância, morada). A tradição diz, no entanto, que o nome teria vindo do nheengatu, uma espécie de dialeto tupi jesuítico, que significa ‘terra que acaba’, ou seja: ‘ilha’. Também pode se referir à árvore amapá (Hancornia amapa), muito comum na região. Sua seiva é usada como fortificante e estimulador do apetite.

 

Slide 8 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Amazonas – o nome, que se transmitiu do rio à região e, depois, ao Estado, deve-se ao explorador espanhol Francisco de Orellana que, em 1541, ao chegar à região, teve de guerrear com uma tribo indígena. O cronista da expedição relatou que os guerreiros eram, na verdade, bravas índias. Elas foram comparadas às amazonas, mulheres guerreiras que, segundo lenda grega, retiravam o seio direito para melhor manejarem o arco-e-flecha.

 

Slide 10 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Bahia – deriva da Baía de Todos os Santos, região onde atracou uma esquadra portuguesa em 1º de novembro de 1501, dia dedicado a Todos os Santos. Em 1534, quando o Brasil foi dividido em capitanias, havia uma orientação para que elas fossem batizadas com nomes dos acidentes mais notáveis nos seus territórios.

 

Slide 12 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Ceará – vem de ‘ciará’ ou ‘siará’ – ‘canto da jandaia’, em tupi, um tipo de papagaio pequeno e grasnador.

 

Resultado de imagem para imagens do distrito federal

Distrito Federal – sentido literal, por ser esta unidade um distrito à parte da federação e, durante mais de um século (1889-1990), administrado diretamente pela União (Governo Federal).

 

 

Slide 14 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Espírito Santo – o Estado originou-se de uma capitania doada a Vasco Fernandes Coutinho, que chegou à região no dia 23 de maio de 1535, um domingo do Espírito Santo (ou Pentecostes, 50 dias após a Páscoa), razão pela qual a capitania recebeu esse nome.

 

Slide 16 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Goiás – deriva do nome dos índios guaiás, que ocupavam a região no final do século 16, quando lá chegaram os bandeirantes em busca de ouro.

 

Slide 18 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Maranhão – outro nome com origem controversa. Uma das hipóteses é que venha do nheengatu ‘mara-nhã’, outra é que tenha origem no tupi ‘mbarã-nhana’ ou ‘pára-nhana’, que significa ‘rio que corre’. Outra possível origem está no cajueiro, árvore típica da região conhecida como ‘marañón’ em espanhol.

 

Slide 20 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Mato Grosso – a denominação tem origem em meados da década de 1730 e foi dada pelos bandeirantes que chegaram a uma região onde as matas eram muito espessas. Embora a vegetação do Estado não seja cerrada e densa em toda a sua superfície, o nome foi mantido e se tornou oficial a partir de 1748.

 

Slide 22 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Mato Grosso do Sul – a criação do Estado é resultado de um longo movimento separatista que teve sua origem em 1889, quando alguns políticos propuseram a transferência da capital de Mato Grosso para Corumbá. Na primeira metade do século 20, com a chegada de seringueiros, criadores de gado e exploradores de erva-mate à Região Sul, ficou clara a diferença entre as duas metades do Estado. E em 1977 ele foi desmembrado.

 

Slide 24 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Minas Gerais – a existência na região de inúmeras minas com metais preciosos, descobertas pela exploração dos bandeirantes paulistas no final do século 18, deu origem ao nome do Estado. O motivo da junção do adjetivo ‘gerais’ para ‘minas’ pode ser por conta dos vários tipos de minérios ou também para diferenciar das minas particulares.

 

Slide 26 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Pará – vem da palavra tupi ‘pa’ra’, que significa ‘mar’. Esse foi o nome dados pelos índios para o braço direito do rio Amazonas que, ao confluir com o Rio Tocantins, se alonga muito parecendo o mar.

 

Slide 28 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Paraíba – vem da junção do tupi ‘pa’ra’ com ‘a’iba’, que significa ‘ruim, impraticável para a navegação’. O nome foi inicialmente dado ao rio e depois ao Estado.

 

Slide 30 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Paraná – também formado pela junção de ‘pa’ra’ com ‘aña’, que significa ‘semelhante, parecido’. A palavra serviria para designar um rio semelhante ao mar.

 

Slide 32 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Pernambuco – o nome vem do tupi-guarani ‘paranambuco’, junção de ‘para’nã’ (rio caudaloso) e ‘pu’ka’ (rebentar, furar) e significa ‘buraco no mar’. Os índios usavam essa palavra para os navios que furavam a barreira de recifes.

 

Slide 34 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Piauí – do tupi ‘pi’awa’ ou ‘pi(‘ra)’awa’, que significa ‘piau, peixe grande’, com ‘i’ (rio). Ou seja, rio das piabas ou dos piaus.

 

Slide 36 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Rio de Janeiro – em 1º de janeiro de 1502, uma expedição portuguesa sob o comando de Gaspar Lemos chegou ao que lhes parecia a foz de um grande rio, denominando o local como Rio de Janeiro, ao que é, na realidade, a entrada da barra da Baía de Guanabara.

 

Slide 37 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Rio Grande do Norte – recebeu esse nome por conta do tamanho do Rio Potengi.

 

Slide 39 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Rio Grande do Sul – primeiro chamado São Pedro do Rio Grande, por causa do canal que liga a lagoa dos Patos ao oceano.

 

Slide 41 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Rondônia – originalmente criado como Território do Guaporé em 1943, trocou de nome em 17 de fevereiro de 1956, em homenagem ao marechal Cândido Rondon (1865-1958), que desbravou a região.

 

Slide 43 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Roraima – nome indígena local que significa serra verde ou monte verde. A palavra é formada pela junção de ‘roro’ ou ‘rora’ (verde) com ‘imã’ (serra ou monte).

 

 

Slide 48 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Santa Catarina – há duas possíveis origens para o nome. A primeira se refere a Sebastião Caboto, italiano a serviço da Espanha, que chegou à ilha por volta de 1526 e teria lhe dado esse nome em homenagem a sua mulher Catarina Medrano. Alguns historiadores, entretanto, acreditam que se trata de um oferecimento a Santa Catarina de Alexandria, festejada pela Igreja no dia 25 de novembro.

 

Slide 45 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

São Paulo – o nome está relacionado com a data de fundação do Real Colégio de São Paulo de Piratininga, em 25 de janeiro de 1554, que originou a cidade de São Paulo. Essa data é comemorada pela Igreja Católica como o dia da conversão de Paulo ao cristianismo.

 

 

 

Slide 46 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Sergipe – do tupi ‘si’ri-ï-pe’, que significa ‘rio dos siris’.

 

 

Slide 50 de 51: O significado do nome dos estados brasileiros – e suas capitais

Tocantins – nome de um grupo indígena que teria habitado a região junto à foz do Rio Tocantins. A palavra tupi significa ‘bico de tucano’.

 

 

Fontes: Eduardo Bueno, autor de ‘A Viagem do Descobrimento’; João Bonturi, professor de História; Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa; Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro; Dicionário da História da Colonização Portuguesa no Brasil; sites dos Estados e site do Ministério das Relações Exteriores.