Powered by WP Bannerize

Cliente mineiro recebe correspondência com ofensas de operadora de celular

Publicado em: 11/02/2019
 

As palavras ‘mineiro boiola otário’ estavam no envelope, logo abaixo do nome de morador da cidade de Lambari

 

 

Bruno Ribeiro Carvalho, 31 anos, que reside em Lambari (MG), passou por uma situação inaceitável com uma das operadoras em que é cliente, a TIM. Ele recebeu ofensas em uma correspondência referente a um relatório de chamadas. As expressões “mineiro boiola otário” aparecem impressas ao final do complemento do seu endereço.

 

O relatório de chamadas enviado para o cliente com essas expressões chulas é referente ao seguinte período – outubro de 2018 a janeiro de 2019. A correspondência só chegou após Bruno solicitar o envio, já que diferente dos meses anteriores o relatório não havia sido enviado.

 

Bruno, que concluiu recentemente sessões de radioterapia para o tratamento de um câncer que enfrenta desde 2014, também teve problemas com a TIM em relação às cobranças indevidas do plano TIM Pré Top.

Minha Operadora entrou em contato com Bruno que explicou que de imediato nem notou as ofensas na correspondência que chegou entre os dias 21 e 22 de janeiro.

Quando notou as ofensas Bruno diz que ficou horrorizado e que a primeira providência adotada foi postar a foto da correspondência no Facebook, o que gerou uma onda de outros comentários de pessoas que também já passaram por problemas com o atendimento da TIM. A partir deste ponto a imprensa começou a reverberar o caso de Bruno, que é bacharel em direito.
Questionado se pretende continuar utilizando os serviços da TIM, Bruno, que também é cliente da Vivo, diz que irá manter o serviço ativo devido a qualidade da rede da operadora na região onde vive, porém deixou bem claro que se não fosse por essa questão trocaria de operadora.

Bruno já está tomando providências para que seu caso seja avaliado pela Justiça. Dois advogados já estão reunindo outras evidências para então tocar o caso pra frente.
O cliente diz que seu objetivo não é a parte financeira, mas que a prioridade é que o caso sirva como lição para que episódios parecidos não aconteçam com outros consumidores.
A TIM já declarou que o funcionário responsável pelo caso em questão foi afastado e no dia 26 de janeiro enviou uma carta ao Bruno com seu posicionamento.
“Pedimos desculpas pelos transtornos causados… Informamos também que este não corresponde aos valores éticos e morais disseminados pela TIM a seus colaboradores”.
(minhaoperadora)