Populaçao tem transporte coletivo de graça e de boa qualidade em Monte Carmelo-MG

Publicado em: 01/05/2014
 

Em comemoração ao Dia do Trabalho, a Prefeitura de Monte Carmelo , no Alto Paranaíba, apresentou a nova frota de ônibus. Cinco veículos foram adquiridos para o transporte coletivo urbano. Os ônibus começam a circular a partir desta sexta-feira (2) e os moradores também ganharam mais uma linha para atender a demanda de estudantes universitários.

 

Quem mora na cidade não paga pelo serviço. A tarifa zero existe em Monte Carmelo há 20 anos, desde que o sistema de transporte coletivo foi criado. Por estar sucateada, a frota de veículos está sendo renovada pela Prefeitura, que estima um investimento de cerca de R$ 500 mil.

 

Segundo o prefeito Fausto Nogueira, os cinco ônibus seminovos foram adquiridos por meio de licitação. “Quem ganhou foi uma empresa de São Paulo e esses ônibus foram vistoriados por uma equipe da Prefeitura. Nosso intuito é melhorar o transporte e trabalharmos em uma campanha de conscientização para que a população possa conservar”, disse.

 

O prefeito não soube informar o custo mensal da manutenção da antiga frota, mas disse que era algo em torno de um por cento do orçamento anual do município, que é de R$ 68 milhões.

 

Além das quatro linhas existentes, que trafegam pela cidade em cinco turnos diários, será criada a quinta linha que deve atender cerca de 2.000 estudantes universitários.

 

Enquanto várias cidades do país se manifestam contra o aumento da tarifa do transporte coletivo urbano, em Monte Carmelo, no Alto Paranaíba, o ônibus é de graça. A medida foi instituída em 1994. São cinco ônibus que fazem quatro linhas em cinco turnos por dia. Ao custo de R$ 60 mil por mês à Prefeitura.

 

Segundo o coordenador de Transportes Nivaldo Souto, o foco é atender estudantes e trabalhadores. “Houve várias tentativas de empresas privadas que rodava dois ou três meses e iam embora. Com a necessidade de chegar a bairros mais distantes, a Prefeitura supriu essa necessidade, criando o transporte gratuito”, informou.

 

Porém, os moradores não pagam passagem, mas também não tem muito conforto. O banco é duro, o ônibus está sujo, riscado e com janelas sem vidro. Segundo a Prefeitura, os próprios usuários são responsáveis por atos e vandalismo. “O banco era estofado e durou 15 dias até começarem a depredar. Colocamos travas em todos os vidros por medida de segurança, mas arrumamos hoje e amanhã eles quebram.”

 

O veículo está sempre cheio, mas para a dona de casa Vanessa da Silva é uma ótima oportunidade. “O custo de transporte no final do mês pode pesar no bolso de muitas pessoas. Mas como tem pouco ônibus rodando não comporta o tanto de pessoa”. Outra reclamação é na demora nos intervalos em que os veículos passam.

 

O secretário de Obras, Divino Batista Ramos, admite que o sistema está sobrecarregado e que faltam, pelo menos, mais dez ônibus. “A cidade está crescendo e é necessário ampliar para outros bairros e horários que não temos cobertura”, afirmou.

Fonte: G1.com/TVIntegraçao.