Powered by WP Bannerize

Pílula do dia seguinte: mitos e verdades

Publicado em: 13/06/2018
 

Você já deve ter lido e ouvido todo tipo de informação sobre  a pílula do dia seguinte. O que existe de verdade e o que é mito? O ginecologista Renato Oliveira, especialista em reprodução humana, é quem vai nos contar.

 

O médico lembra que a pílula não substitui os métodos contraceptivos tradicionais. Em vez disso, deve ser usada apenas em casos emergenciais: “situações de risco, como no estouro da camisinha ou em episódios de violência sexual, por exemplo. A informação e a prevenção ainda são as melhores maneiras de se evitar uma gravidez indesejada”, destaca.

 

A seguir, o ginecologista tira outras dúvidas, e desfaz os mitos em torno da pílula do dia seguinte.

 

Há um momento correto para utilizar a pílula de contracepção emergencial.

VERDADE. Apesar de poder utilizá-la nos primeiros cinco dias, recomenda-se o uso em até 72 horas após o ato sexual. Porém, quanto antes a pílula for tomada, maior a chance de sucesso. Estudos relatam que, nas primeiras 24 horas, por exemplo, a eficácia da pílula gira em torno de 90%.

 

A pílula do dia seguinte é abortiva.

MITO. Ela age antes da ocorrência da gravidez, portanto não provoca aborto. Se a fecundação ainda não aconteceu, o medicamento vai dificultar o encontro do espermatozoide com o óvulo, ou postergar a ovulação, caso esta ainda não tenha ocorrido. Se ocorrer gestação, sua tomada não causará danos para o embrião.

 

O medicamento causa efeitos colaterais.

VERDADE. O uso da pílula do dia seguinte pode causar efeitos colaterais. Alterações no ciclo menstrual, diarreia, vômito, náuseas, dores de cabeça e no corpo, além de aumento de retenção de líquido.

 

É necessário receita médica para adquiri-la.

MITO. Nos postos de saúde, assim como nas farmácias, a receita não é exigida.

 

O uso da pílula do dia seguinte tem contra-indicações.

VERDADE. Mulheres com distúrbios metabólicos, principalmente insuficiência hepática, problemas hematológicos e vasculares, hipertensão ou obesidade mórbida devem evitar o medicamento.

 

Se uso anticoncepcional regularmente, preciso da pílula do dia seguinte.

MITO.  Quem faz o uso correto da pílula tradicional, tomando-a da forma como foi prescrita pelo ginecologista, está protegida da gravidez.

 

A pílula do dia seguinte não substitui o uso de métodos contraceptivos convencionais.

VERDADE. Trata-se de um método de emergência, quando não há outro método. Deve-se ressaltar, dentre os métodos contraceptivos, a recomendação de sempre usar preservativos (camisinha), por exemplo, pois também previne homens e mulheres de doenças sexualmente transmissíveis (DST).

 

Foto: pixabay
(dasplus)