Powered by WP Bannerize

O que a hipnose realmente causa no seu corpo?

Publicado em: 05/01/2017
 

Provavelmente, você já viu em filmes e séries pessoas tentando hipnotizar outras e, algumas vezes, tendo sucesso. Será que acredita que realmente possa dar funcionar? Primeiro, você sabe o que é a hipnose? Se trata de um estado psicológico especial induzido por meio de um pêndulo, do movimento do dedo ou da voz, ela vem sendo cada vez mais utilizada como instrumento no tratamento de diferentes diagnósticos.

Para aqueles que acreditam que a hipnose é um método relativamente novo, datando de apenas alguns séculos, muito se engana, pois já foram encontrados textos do Antigo Egito, datados de 1550 a.C., que mostram a utilização da hipnose por esses povos.

Precisamos lembrar que não temos o intuito de criticar, julgar, muito menos impor verdades absolutas. Nosso objetivo é único e exclusivo de informar. Por isso, o conteúdo dessa matéria se destina a aqueles que se interessarem e/ou identificarem.

De acordo com o dicionário Priberam, a palavra hipnotizar significa: 1. Adormecer pelos processos mecânicos, físicos ou psíquicos do hipnotismo. Suas raízes vem de: imobilizar, seduzir ou vencer por feitiço, deixar sem ação. É importante saber que a hipnose deve ser utilizada apenas por profissionais especializados, sendo que sua prática por pessoas que não possuam conhecimento técnico pode ser perigosa, causando danos permanentes.

01

Apesar de já terem sido encontradas provas de que a hipnose é muito mais antiga do que se imagina, em teoria, tem-se o registro de que tivera seu início no século 18, com o médico alemão Franz Anton Mesmer, considerado um homem perigoso à sociedade, pela comissão de cientistas notáveis – da qual Antoine Lavoisier e Benjamin Franklin participavam – por acreditarem que era possível “mesmerizar” as pessoas contra a vontade delas.

A primeira vez que o termo “mesmerização” fora trocado por “hipnose” em utilização cientifica foi em um trabalho de 1843, do médico escocês James Braid, ao se referir à deusa grega do sono, Hypos. Essa utilização fora feita por acreditar que a “mesmerização” nada mais era que uma espécie de sono induzido.

O que ele não sabia era que a hipnose nada tem a ver com sono induzido. Na verdade, o corpo está totalmente acordado e consciente de que está sendo hipnotizado. Após Braid, a hipnose começou a ser estudada de maneira mais aprofundada por diversos pesquisadores, como Jean-Martin Charcot – considerado o pai da neurologia -, pelo psicólogo russo Ivan Pavlov, e até mesmo Freud.

02

A hipnose é muito utilizada principalmente no tratamento de traumas e fobias, bem como: depressão, amnésia, correção de vícios, obesidade, procedimentos cirúrgicos, insônia, entre tantas outras coisas. Além disso, a pessoa que está sendo hipnotizada precisa acreditar e querer que o procedimento funcione.

E o que a hipnose causa em nosso organismo? Como ela realmente funciona? Há algum tempo, as pessoas acreditavam que a hipnose se tratava apenas de suposições exageradas porém, hoje a ciência já prova que a hipnose está ligada á ciência cognitiva.

Fisiologicamente falando, durante uma sessão de hipnose nenhuma parte do cérebro é “desligada”, o que acontece é a modificação de conexões em determinadas áreas. “a hipnose representa um diferente estado de consciência: é como se fosse uma alteração da noção de autoconsciência e lembrança.”

03

A conexão entre o córtex pré-frontal (parte responsável pela tomada de decisões e personalidade) e a ínsula (responsável por coordenar emoções e processar dores). Durante a hipnose uma região dorsal do cérebro diminui suas atividades, assim, o paciente é capaz de focar em uma coisa, ignorando outras. Os pacientes não são autônomos passivos, na verdades eles solucionam problemas e incorporam as ideias morais e culturais, ao mesmo tempo que estão sensíveis às expectativas do hipnotizador.

04

Segundo a definição da Associação Americana de Psicologia, a hipnose é um estado de consciência que envolve atenção focada e consciência periférica reduzida, caracterizado por maior capacidade de resposta à sugestão. É um estado mental ou um tipo de comportamento induzido por hipnose. Ou seja, nada mais que a força do seu próprio pensamento.

*** fatos desconhecidos.