Powered by WP Bannerize

Saúde

Setembro dourado – câncer infatojuvenil


Publicado em: 19/09/2018
 

A campanha #MovimentoDourado, que acontece no mês de setembro, tem como objetivo engajar pessoas para disseminar informações que fazem toda a diferença para o diagnóstico precoce da doença. Afinal, o diagnóstico precoce é fundamental para o tratamento e cura do câncer infantojuvenil.

 

O mês de setembro é marcado pela campanha nacional de conscientização do câncer infantojuvenil, o Setembro Dourado, reconhecido dessa maneira como forma de lembrar que as crianças valem ouro. Em parceria com uma das mais representativas instituições brasileiras sem fins lucrativos de apoio ao tratamento do câncer infantojuvenil, o Grupo de Apoio ao Adolescente e a Criança com Câncer (GRAACC), a Bettanin desenvolveu a campanha Movimento Dourado para reforçar a importância do diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil.

 

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), estima-se que 12.500 crianças e adolescentes desenvolverão câncer no Brasil ao longo de 2018. A instituição aponta a prevenção como principal arma de combate à doença.

 

A cada minuto, uma criança é diagnosticada com câncer no mundo. No Brasil, o câncer infantojuvenil é uma das causas de morte não acidental mais comuns. Felizmente, a doença possui cerca de 70% de chances de cura se diagnosticada precocemente.

 

ATENÇÃO! Muitos dos sintomas são semelhantes aos de várias doenças infantis comuns! Por isso, fique atento aos sinais da doença:

– Dores de cabeça pela manhã e vômito;
– Caroços no pescoço, axilas, virilha e ínguas que não resolvem;
– Dores nas pernas;
– Manchas arroxeadas na pele, como hematomas ou pintinhas vermelhas;
– Aumento do tamanho de barriga;
– Brilho branco em um ou nos dois olhos quando a criança sai em fotografias com flash.

 

Se os sintomas não desaparecerem em um prazo de 7 a 10 dias, volte ao médico e insista para obter um diagnóstico mais detalhado com exames laboratoriais e radiológicos. Saiba mais em: graacc.org.br

(Portal Uai)



Pessoas com câncer têm direitos especiais na legislação


Publicado em: 08/09/2018
 

Leis garantem isenção de impostos, auxílio-doença, aposentadoria por invalidez, entre outros

 

Na luta do combate ao câncer, muitas pessoas não conhecem os direitos oferecidos aos pacientes. Apesar do crescimento do número dos acometidos pela doença, a falta de informação faz com que as pessoas não tenham conhecimento dos direitos especiais citados na legislação. Para auxiliar os portadores da grave doença, hospitais e institutos criaram materiais informativos para ajudar no cotidiano e para facilitar financeiramente a vida paciente. 

Entre os benefícios assegurados, estão auxílio-doença, isenção de pagamento do Imposto de Renda, IPI, ICMS e IPVA, desconto na conta de luz, cirurgia de reconstrução mamaria, possibilidade de quitação de imóvel, entre outros. Confira alguns dos direitos oferecidos às pessoas com câncer:

 

Saque do FGTS e do PIS/Pasep. Documentos necessários: atestado médico com carimbo e CRM do médico responsável e validade não superior a 30 dias. É necessário constar o diagnóstico com as patologias ou enfermidades e estado clinico atual do paciente. Também é preciso apresentar a carteira de trabalho e o Cartão do Cidadão ou Cartão de Inscrição PIS/PASEP.

 

Auxílio-Doença. Incapacidade para o trabalho deve ser comprovada por meio de exame realizado por perícia médica do INSS. Interessado deve comparecer a uma agência da Previdência Social e solicitar o agendamento da consulta. Necessário apresentar a carteira de trabalho e declaração do médico com validade de 30 dias com descrição do estado clinico do paciente.

 

Aposentadoria por invalidez. Condição deve ser comprovada por perícia médica do INSS. O portador de câncer terá direito do pagamento de 12 contribuições, desde que esteja na qualidade de assegurado. Terá direito a um acréscimo de 25%, o segurado do INSS que necessitar de assistência permanente de outra pessoa.

 

Isenção do IPVA. Cada Estado tem legislação própria de isenção para veículos adaptados. Documentos necessários: O interessado na isenção do IPVA deverá apresentar o requerimento (Utilize o formulário modelo disponível no site) no Posto Fiscal da Secretaria da Fazenda de sua residência, acompanhado de cópia do CPF, cópia do certificado de registro e licenciamento de veículo, cópia do laudo de perícia médica, fornecido exclusivamente pelo Detran, especificando o tipo de problema físico e o tipo de veículo que o deficiente pode conduzir, cópia da Carteira Nacional de Habilitação na qual conste estar o interessado autorizado a dirigir veiculo adaptado, cópia da nota fiscal referente às adaptações, de fábrica, declaração de que não possui outro veículo com o benefício.

 

Isenção do Imposto de Renda. Paciente deve procurar o órgão responsável pela sua aposentadoria (INSS, Prefeitura, Estado etc.) munido de requerimento fornecido pela Receita Federal. A doença será comprovada por meio de laudo médico, que é emitido por serviço médico oficial.

 

Transporte coletivo de graça (pessoas portadoras de deficiência física). Isenção inclui Metrô, ônibus municipais, intermunicipais e trens da CPTM. Para obter o benefício, os documentos necessários são: relatório do médico, laudo médico com carimbo e CRM do médico responsável e validade não superior a 30 dias, laudo de isenção tarifária (obtido após consulta em posto de saúde), RG, CPF, Carteira de Trabalho, comprovante de endereço recente. Procurar uma estação de Metrô habilitada.

 

Dispensa do rodízio de automóveis. Obter o formulário para requerer isenção no Departamento de Operação do Sistema Viário (DSV), onde pode ser preenchido. É possível também baixar pela internet o formulário, que deve ser impresso e preenchido. O formulário deve ser assinado pelo deficiente ou por seu representante legal e pelo condutor do veículo. Anexar os seguintes documentos ao formulário: cópia do certificado de propriedade do veículo, cópia do RG do condutor, do deficiente (quando este não tiver RG, anexar cópia da Certidão de Nascimento) e do representante legal do deficiente (quando for o caso), cópia da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), laudo médico, contendo nome e CRM do médico e comprovando a deficiência (somente será aceito o laudo médico original ou cópia autenticada). O cadastro pode ser feito pessoalmente ou por representante no DSV/Autorizações Especiais, na Av. das Nações Unidas, 7123, Térreo – Pinheiros. O horário de Funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.

 

Exame de câncer de próstata gratuito (SUS). Todo homem com mais de 40 anos de idade tem direito a realizar, gratuitamente na rede do SUS, exames para diagnóstico de câncer da próstata. Os submetidos ao tratamento de próstata que tiverem um ou ambos testículos retirados, têm direito à reconstrução com a colocação de prótese.

 

Amparo legal:

– Lei nº 10.289, de 20 de setembro de 2001, Artigo 4º, Inciso II;

 

Medicamentos e material hospitalar (plano/seguro de saúde). O plano/seguro de saúde deve cobrir exames de controle da evolução da doença e fornecer medicamentos, anestésicos e outros materiais, assim como sessões de quimioterapia e radioterapia, durante todo o período de internação da pessoa com câncer.

 

Amparo legal:

– Lei nº 9.656, de 03 de junho de 1998, Artigo 12, Inciso II, Alínea d.

 

Vacina contra HPV. Fica incorporada a vacina quadrivalente contra HPV na prevenção do câncer de colo do útero no Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Amparo legal:

– Portaria nº 54 MS/SCTIE, de 18 de novembro de 2013, Artigo 1.

 

Diagnóstico e tratamento do câncer (SUS). O SUS deverá garantir o diagnóstico e todo o tratamento do câncer, oferecendo os seguintes serviços: Serviços de Cirurgia Oncológica, Oncologia Clínica, Radioterapia, Hematologia e Oncologia Pediátrica em Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia.

 

Amparo legal:

– Portaria nº 741, de 19 de dezembro de 2005, Artigo 2º.

 

Tratamento gratuito para o paciente com neoplasia maligna. O paciente com neoplasia maligna receberá, gratuitamente, no Sistema Único de Saúde (SUS), todos os tratamentos necessários, tendo direito de se submeter ao primeiro tratamento no prazo de até 60 (sessenta) dias contados a partir do dia em que for diagnosticado.

 

Amparo legal:

– Lei nº 12.732, de 22 de novembro de 2012, Artigos 1 e 2.

– Portaria 876, de 16 de maio de 2013.

 

Cirurgia reconstrutora da mama. A mulher que, em decorrência de um câncer, tiver os seios total ou parcialmente retirados, tem direito à reconstrução destes por meio de cirurgia plástica, tanto pelo SUS quando por plano/seguro de saúde privado. 

Amparo legal:

– Lei nº 9.797, de 06 de maio de 1999, Artigo 1º (SUS);

– Lei nº 9.656, de 03 de junho de 1998, Artigo nº 10-A (planos/seguros de saúde).

 

Laudo Médico para Afastamento de Trabalho. É uma documentação exigida para acesso aos diferentes direitos previdenciários, das iniciativas pública ou privada. O médico assistente é o profissional que acompanha o paciente em sua doença e evolução e, quando necessário, emite o devido atestado ou relatório médico. De acordo com o artigo 3º da Resolução CFM 1851/2008, o médico assistente especificará o tempo concedido de dispensa às atividades de trabalho e estudantil, necessário para recuperação do paciente.

 

Laudo Médico para Atestado de Lucidez. Este atestado é usualmente utilizado para fins de procuração a terceiros. Conforme Resolução CFM 1658/2002, o atestado médico é parte integrante do ato médico, sendo seu fornecimento direito inalienável do paciente, inclusive para fornecimento de atestados de sanidade, em suas diversas finalidades (arts. 1º e 7°).

 

Programa de Apoio ao Paciente com Câncer

O Programa de Apoio ao Paciente com Câncer (PAP) do Instituto Oncoguia fornece informações a um público que ainda desconhece os seus direitos sociais sobre como vencer os principais obstáculos impostos pela doença. O atendimento é feito por telefone (08007731666). Uma equipe de profissionais orienta usuários de forma personalizada.

 

Nos últimos 17 meses, 52% das dúvidas foram relacionadas a temas como auxílio-doença e isenção de impostos na compra de veículos, direitos sociais garantidos pela legislação brasileira. A demanda relacionada à saúde representou 48% dos atendimentos.

 

“Temos dois desafios constantes: o de informar os pacientes sobre os direitos e o de auxiliá-los nas formas de garanti-los. Nas duas precisamos do comprometimento do paciente de forma ativa e responsável. A conquista dos direitos na prática não é fácil, mas é possível. E mais, estamos aqui para ajuda-los!”, comenta a psico-oncologista e especialista em Bioética Luciana Holtz de Camargo Barros, presidente do Instituto Oncoguia.

 

Nos últimos três anos, o Oncoguia teve grande envolvimento em importantes conquistas de políticas públicas, como a que obriga os planos de saúde a fornecer medicamentos antineoplásicos de uso oral para tratamento do câncer e para controle de efeitos adversos, determinada por Resolução Normativa da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), em maio deste ano. Outra conquista, ainda mais recente, é a chamada Lei dos 60 dias, pela qual o Ministério da Saúde reconhece que o prazo máximo de 60 dias para início do primeiro tratamento oncológico no SUS deve ser contado a partir da data da assinatura do laudo patológico.

 

Serviço:

Confira outros direitos na cartilha do Inca (Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva):

http://www1.inca.gov.br/inca/Arquivos/direitossociaisdapessoacomcancerterceiraedicao2012.pdf

 

Cartilha do Hospital A.C. Camargo:

http://www.accamargo.org.br/files/cartilhas/cartilha.pdf

 

Confira as leis específicas para o caso:

– Lei nº 9.656, de 03/06/1998

Dispõe sobre os planos e seguros privados de assistência à saúde.

 

– Lei nº 9.797, de 06/05/1999

Dispõe sobre a obrigatoriedade da cirurgia plástica reparadora da mama pela rede de unidades integrantes do Sistema Único de Saúde – SUS nos casos de mutilação decorrentes de tratamento de câncer.

 

– Lei nº 10.289, de 20/09/2001

Institui o Programa Nacional de Controle do Câncer de Próstata.

 

– Lei nº 10.223, de 15/05/2001

Altera a Lei no 9.656, de 3 de junho de 1998, para dispor sobre a obrigatoriedade de cirurgia plástica reparadora de mama por planos e seguros privados de assistência à saúde nos casos de mutilação decorrente de tratamento de câncer.

 

– Lei nº 12.880, de 15/11/2013

Altera a Lei no 9.656, de 3 de junho de 1998, que “dispõe sobre os planos e seguros privados de assistência à saúde”, para incluir tratamentos entre as coberturas obrigatórias.

 

Colaboração: Inca, Hospital A.C. Camargo e Instituto Oncoguia.

 

 

Ainda tem dúvidas sobre os direitos das pessoas que têm câncer?

Escreva para: especialistaresponde@estadao.com

(emais.estado)

 



Comer grilos pode fazer bem à saúde, diz estudo


Publicado em: 27/08/2018
 

Apesar de quase 2 bilhões de pessoas no mundo comerem insetos, esse costume chinês ainda é visto com estranheza por nós, ocidentais. Mas pesquisadores da Universidade de Wisconsin-Madison, nos Estados Unidos, descobriram que nossos colegas asiáticos podem estar com a razão. Segundo um estudo elaborado por eles, comer grilos pode fazer bem à saúde do intestino, e até reduzir inflamações gerais do corpo.

 

Uma das vantagens nutricionais dos insetos é que, além de serem ricos em proteínas, eles possuem fibras, predominantemente na forma de quitina (contida em seus exoesqueletos). Valerie Stull, autora do estudo, afirma que essa fibra pode alterar a flora intestinal. “As fibras dietéticas são carboidratos que o nosso corpo não digere. Elas são as principais fontes de energia para os micróbios no nosso intestino”, disse à imprensa dos EUA. “Ou seja: as fibras que adquirimos na nossa dieta moldam o crescimento desses micróbios.”

 

Você pode estar se perguntando: “mas qual a vantagem de alimentar micróbios?” Bem, várias: a “flora intestinal”, como é conhecido esse grupo de bactérias que habitam nosso intestino, ajuda a produzir enzimas essenciais para decompor nutrientes complexos, regulariza a função intestinal, normaliza seu pH e contém o desenvolvimento de microrganismos patogênicos, ou seja, que causam doenças. Manter a flora intestinal equilibrada é essencial à saúde.

 

Os pesquisadores conduziram um experimento, durante duas semanas, com 20 homens e mulheres saudáveis. Parte dos participantes tomou um café da manhã contendo 25 gramas de “farinha de grilo” em pó, que era adicionada a bolinhos ou shakes. A outra parte foi um grupo de controle, e tomou café da manhã normal. Os pesquisadores analisaram amostras de sangue e fezes dos voluntários antes, durante e após o estudo para examinar o impacto dos insetos na saúde intestinal.

 

Durante o teste, os voluntários não relataram alterações gastrointestinais significativas ou efeitos colaterais por comer os grilos. Mas, o que os pesquisadores descobriram foi um aumento na quantidade de uma espécie de bactéria, a Bifidobacterium animalis – que, segundo Stull, está associada a uma série de resultados positivos para a saúde, e está até disponível comercialmente como BB-12. Mas a pesquisadora admite que mais estudos são necessários para embasar toda essa capacidade nutricional dos insetinhos.

 

O fato é que, segundo a ONU, os insetos são uma boa opção alimentar, pois seu cultivo requer seis vezes menos ração do que a carne bovina, por exemplo, e também emite muito menos CO2. Um dia, talvez, todos nós estejamos comendo grilos. O que pode ser ótimo para o meio ambiente – e para a nossa saúde.

(msn)



Cientista diz que óleo de coco é um ‘veneno’


Publicado em: 21/08/2018
 

Uma rápida pesquisa na internet sobre o óleo de coco revela que o produto “queridinho” do momento é tido por blogueiras e “influenciadores digitais” (digital influencers) como uma substância muito versátil. Quase todos os resultados indicam que ele pode ser um poderoso aliado na perda de peso ou para ajudar na hidratação dos cabelos e até da pele.

Mas, a utilização mais “polêmica” do óleo de coco está relacionada à sua função nutricional. Muitos sites e blogs afirmam que esse tipo de gordura é uma alternativa mais saudável que o tradicional óleo de cozinha no preparo de alimentos, já que ele não sofre oxidação quando usado em altas temperaturas. É aí que mora o perigo, de acordo com a pesquisadora Karin Michels, diretora do Instituto de Epidemiologia e Prevenção do Câncer da Universidade de Freiburg, na Alemanha, e professora da Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

Durante uma de suas palestras recentes, intitulada Óleo de Coco e Outros Erros Nutricionais, que foi divulgada no YouTube em julho deste ano, e conta com quase 800 mil visualizações, Michels afirma que o produto é um “veneno” e que a substância é “um dos piores alimentos que existem”. A informação foi destaque da versão alemã do site de notícias Business Insider.

No evento, realizado na Universidade de Freiburg, a especialista alerta que o óleo de coco é menos saudável, até mesmo, do que a banha de porco, por ser composto “quase que exclusivamente” de ácidos graxos saturados, elementos que podem entupir as artérias coronárias, levando a graves problemas cardíacos.

Alerta americano

A professora Karin Michels não está sozinha nessa “luta” contra o óleo de coco, que, recentemente, virou “moda” entre o público fitness ou que segue uma dieta balanceada. O portal Business Insider lembra que a Associação Americana do Coração (American Heart Association) recomendou, em 2017, que as pessoas parassem de consumir o produto exatamente pela grande quantidade de ácidos graxos saturados encontrados nele.

Além disso, não existem estudos científicos comprovando que o óleo de coco, de fato, possui propriedades benéficas à saúde humana. Por isso, especialistas recomendam a utilização de azeite ou canola como alternativa mais saudável para quem deseja substituir o tradicional óleo de cozinha, informa o site de notícias.

 

Abaixo, confira o vídeo da palestra de Karin Michels, em alemão (é possível usar legendas automáticas do YouTube):



Cueca apertada prejudica fertilidade masculina, aponta estudo de Harvard


Publicado em: 20/08/2018
 

Após coletar amostras do sêmen de 659 homens, pesquisadores constataram que o uso de cuecas mais folgadas aumenta em 25% a quantidade de esperma

 

O tipo de cueca usada pelos homens pode ajudar na qualidade do esperma produzido, segundo pesquisa da universidade de Harvard. Os investigadores constataram que homens que vestem com mais frequência cuecas folgadas têm concentrações maiores de espermatozoides. Para os autores do estudo, publicado na revista Human Reproduction, a descoberta sugere que uma estratégia simples pode ajudar casais que querem engravidar.

Os pesquisadores coletaram informações e amostras do sêmen de 659 homens que faziam parte de casais em busca de tratamento em um centro de fertilidade. Os homens, que tinham entre 32 e 39 anos, responderam a um questionário que incluía perguntas sobre o estilo de roupa íntima usado nos três meses anteriores. Entre os participantes, 53% relataram que, geralmente, vestiam cuecas mais folgadas, que os brasileiros costumam chamar de samba-canção.

A análise das amostras de sêmen mostrou que esses voluntários tinham 25% mais espermatozoides, quando comparados aos participantes que usaram vestimenta íntimas mais justas. Além disso, a análise de amostras de sangue – coletadas de 304 participantes – revelou que os adeptos da samba-canção apresentavam taxas de hormônio folículo estimulante (FSH) 14% menor, também comparados aos outros voluntários. O FSH está associado à produção de espermatozoides e sinaliza ao cérebro quando intensificar a produção do esperma.

Mudança simples

Segundo os cientistas, a combinação dos resultados – baixa taxa do hormônio FSH e alta concentração de espermatozoides – faz sentido. Isso porque uma quantidade alta da célula de reprodução masculina dispensa a necessidade de sinais neurais para aumentar a produção delas. “Esses resultados apontam para uma mudança relativamente fácil que os homens podem fazer quando eles e suas parceiras estão tentando engravidar”, diz Lidia Mínguez-Alarcón, principal autora e pesquisadora da Universidade de Harvard.

“Nosso estudo fornece evidências, pela primeira vez, de que uma escolha de estilo de vida aparentemente aleatória pode ter impactos profundos na produção de hormônios em homens tanto no testículo quanto no cérebro”, ressalta Jorge Chavarro, autor do estudo e professor-associado de nutrição e epidemiologia da universidade americana.

(portal uai)