Powered by WP Bannerize

Notícias

Bolo em comemoração ao aniversário de Patos de Minas terá 126 metros e 9 mil pedaços


Publicado em: 23/05/2018
 

Neste ano, o bolo terá como tema os 60 anos da Festa Nacional do Milho.

 

Como de costume, em comemoração ao aniversário de Patos de Minas, a Prefeitura Municipal começou a confeccionar, nesta manhã de terça-feira (22), um bolo de 126 metros que será dividido em, aproximadamente, 9 mil pedaços. A distribuição será realizada logo após as apresentações da sessão cívica, que começa às 8h e antes do Desfile Cívico, Militar e Estudantil na Avenida Getúlio Vargas.

 

Serão gastos dois dias na preparação, sendo que o bolo será dividido em 126 caixas decoradas em comemoração aos 60 anos da Festa Nacional do Milho (Fenamilho), uma homenagem da Prefeitura à festa maior do Município. Cada caixa conterá 66 pedaços de bolo recheados com doce de leite e coco ralado. Toda a produção do bolo já foi planejada. Nesta terça, o bolo será levado ao forno, na quarta-feira (23) serão feitos o recheio e a decoração e ele será embalado em papel alumínio e levado ao freezer para sua conservação. A entrega para quem comparecer ao ato cívico será na quinta-feira (24), como já tradicionalmente.

 

Na decoração de cada caixa terá um carro de boi com algumas espigas de milho e balaios, representando a Fenamilho, festa que se tornou tradição na cidade há 60 anos e que orgulha o patense, já que atrai muitos visitantes e se torna uma vitrine da cidade para todo o país. Para a confecção da sobremesa serão utilizados 200kg de farinha de trigo, 3600 ovos, 20kg de coco ralado, 200kg açúcar, 4kg fermento, 160 litros de leite, 1 caixa de óleo contendo 12 unidades e 150kg de doce de leite.

 

Surgimento de Patos de Minas

O município de Patos de Minas surgiu na segunda década do século XIX em torno da Lagoa dos Patos, onde, segundo as descrições históricas, existia uma enorme quantidade de patos silvestres. Os primeiros habitantes foram lavradores e criadores de gado, sendo muito visitados por tropeiros, já o povoado, à beira do Rio Paranaíba foi crescendo e acabou se tornando um arraial que, posteriormente, se transforma em uma vila com o nome de Santo Antônio dos Patos.

 

Em 24 de maio de 1892, o presidente do estado de Minas Gerais eleva a vila à categoria de Cidade de Patos de Minas. Em 1943, o governo do estado modifica o nome para Guaratinga, provocando revolta na população. Em 03 de junho de 1945, muda novamente para Patos de Minas para distingui-lo de Patos da Paraíba, município mais antigo.

Fonte: Ascom Patos de Minas



Governador do Estado fará entrega de 150 ônibus em Patos de Minas a vários municípios


Publicado em: 23/05/2018
 

Após a entrega, o Governador Pimentel deverá se reunir com prefeitos da região e à noite fará a entrega da comenda Antônio Secundino de São José

 

No dia 28 de maio, próxima segunda-feira, Patos de Minas receberá o Governador Fernando Pimentel. O Município será a base do Governo para a realização da entrega de 150 ônibus para municípios mineiros.

 

Nos últimos dias, Patos de Minas recebeu a Primeira Dama do Estado, Carolina Pimentel, o Presidente Michel Temer e os Ministros das Cidades, Alexandre Baldy e dos Transportes, Valter Casimiro Silveira.

 

O Prefeito José Eustáquio Rodrigues Alves acredita que o Município, por ser polo regional, tem se destacado no cenário nacional e estadual, com a geração de empregos sempre em alta e com o desenvolvimento sempre pujante. “Ao recebermos tanto o Presidente quanto a primeira dama, os Ministros e agora o nosso Governador, acreditamos que vivemos um momento de firmar parcerias, para que possamos dar continuidade ao desenvolvimento da cidade e região, buscando mais melhorias na infraestrutura de nossa cidade como, por exemplo, a duplicação da Avenida Marabá”, ressaltou o prefeito.

 

Também no dia 28, será realizada a Comenda Antônio Secundino de São José às 18h30, no salão de festas Decorfest. A comenda homenageia, anualmente, personalidades e instituições que prestaram e continuam prestando relevantes serviços a favor do desenvolvimento da agropecuária, do saneamento e do meio ambiente.

Fonte: Ascom Prefeitura Municipal



Rodrigo Maia anuncia que governo vai diminuir tributos sobre combustível


Publicado em: 22/05/2018
 

Segundo o presidente da Câmara, o acordo foi firmado entre ele, o presidente do Senado, Eunício Oliveira, e o governo federal

 

Brasília – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciou na tarde desta terça-feira, 22, pelo Twitter, que o governo vai zerar a Cide sobre a gasolina e o diesel para ajudar a reduzir o preço dos combustíveis no País. Ele também anunciou acordo para destinar 100% dos recursos do projeto da reoneração da folha de pagamento para reduzir o impacto do aumento do diesel.

 

Maia afirmou que as duas medidas foram acertadas por ele e pelo presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), com o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia. “Eu e o presidente do Senado combinamos com o governo federal: os recursos da reoneração serão todos utilizados para reduzir o impacto do aumento do diesel. E também acertamos com o ministro da Fazenda que a Cide será zerada com o mesmo objetivo: reduzir o preço dos combustíveis”, escreveu no Twitter.

 

A postagem foi acompanhada de vídeo no qual o presidente da Câmara aparece ao lado de Eunício e dos líderes do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), e no Congresso Nacional, deputado André Moura (PSC-SE). “Desde domingo estamos trabalhando nisso, buscando uma solução para que a população brasileira possa sentir do Congresso Nacional a verdadeira palavra em defesa dos interesses dos consumidores, sem prejudicar obviamente o Brasil”, disse o presidente do Senado.

 

O ministro da Fazenda ainda não se pronunciou sobre o assunto. Desde o início da manhã, Guardia tem tido uma série de reuniões com integrantes do Executivo e do Legislativo para debater propostas para ajudar a reduzir o preço dos combustíveis.

 

Em entrevista, ele apenas rechaçou que o governo tenha solicitado mudanças na política de preços da Petrobras e disse que não havia ainda decisão tomada sobre as medidas para reduzir os preços dos combustíveis na bomba.

 

A diminuição da alíquota da Cide depende apenas de um decreto do presidente Michel Temer para que passe a valer. A medida, porém, só passará a valer três meses após a assinatura do decreto.

(portal uai)

 

 

 



TJMG rejeita embargos e Azeredo pode ser preso a qualquer momento


Publicado em: 22/05/2018
 

A decisão contra o último recurso do ex-governador em segunda instância foi por unanimidade. A 5ª Câmara também votou pela prisão do tucano

 

 

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais rejeitou por unanimidade, nesta terça-feira (22), os embargos apresentados pela defesa do ex-governador Eduardo Azeredo (PSDB) na ação que julga o mensalão tucano.

 

 

Com isso, uma ordem de prisão pode ser expedida a qualquer momento. Por 4 votos a 1, a 5ª Câmara Criminal do TJMG votou pela prisão imediata do ex-governador tucano.

 

 

Azeredo foi condenado no processo que ficou conhecido como mensalão tucano a 20 anos e um mês de prisão.

 

 

Após a rejeição dos embargos o advogado de defesa, Castellar Guimarães Neto, apresentou pedido para que a prisão seja decretada apenas após a publicação da decisão, mas o pedido foi rejeitado.

 

 

O plenário do Tribunal avaliou que a questão de ordem da defesa já havia sido negada e não será necessário esperar a publicação do acórdão para se expedir o mandado de prisão.

 

 

“Todos conhecem meu posicionamento contrário ao Supremo que entendeu que é possível o início do cumprimento da pena após a segunda instância mesmo podendo recorrer em outras instâncias. Mas, ainda que de forma apertada, o Supremo decidiu flexibilizar o princípio de presunção de inocência. A pergunta que fica é: quando se dá o exaurimento na Segunda Instância”, avaliou o desembargador Alexandre Vitor de Carvalho.

 

 

O magistrado questionou se a apresentação de embargos tem caráter protelatório. “Entendo como razoável o pedido de pelo menos aguardar a expedição do mandado o prazo para a interposição de novos embargos declaratórios”, votou Alexandre.

 

 

O presidente da Câmara entende que a segunda instância está exaurida hoje com os embargos apresentados. “A próxima decisão caberá ao STJ e não mais à segunda instância”, diz Julio César Lorens. “Os fatos aconteceram há 20 anos e na vida tudo tem que terminar”, completou.

 

 

O representante do MP defende que a expedição seja imediata: “O embargante abriu mão de seu mandato parlamentar como forma de defesa, claramente ação protelatória. A Suprema corte se decidiu sobre a questão. A corte já decidiu pela condenação por peculato e lavagem de dinheiro. Agora estamos a rediscutir algo que já foi analisado?”, diz o procurador Evandro Senra.

 

 

“São 20 anos da consumação desses delitos. O  embargante teve todos os direitos de defesa. Esgotados os recursos na Segunda Instância não é mais cabível protelar”, diz o representante do MP. Os outros magistrados acompanharam o MP e o relator, confirmando a prisão imediata de Azeredo.

 

 

Após o julgamento, Castellar Neto afirmou que se encontrará com a juíza responsável pelo processo na 9ª Vara, no Fórum Lafayette, para acertar detalhes sobre uma eventual entrega do tucano às autoridades e sobre as condições de prisão. Ele ressaltou que ainda aguarda o julgamento de um pedido de habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça.

 

 

Pedido de prisão

O desembargador Pedro Vergara leu durante o julgamento uma decisão do juiz Sérgio Moro, em que avaliou os embargos apresentados pelas defesa do ex-presidente Lula. “Não cito aqui o nome de político condenado porque eles não merecem, mas a decisão de Moro sobre esse tal político segue as decisões de Instâncias superiores”, disse Pedro. Ele defendeu a prisão imediata de Azeredo.

 

 

O desembargador Alexandre Carvalho sugeriu que Azeredo tenha direito a cela separada “pela importância do cargo, assim como foi concedido ao ex-presidente Lula”.

 

O presidente da 5º Câmara disse que a questão não está em discussão e que no caso de Lula a determinação partiu do magistrado em primeira instância e não do colegiado da segunda instância.

 

Eles discutiram também se Azeredo terá direito à prisão especial. A maioria da corte entendeu que cabe ao juízo de Primeira Instância definir sobre a questão.

(estado de Minas)

 

 

VEJA TAMBÉM

 

POLÍCIA FAZ DILIGÊNCIAS PARA CUMPRIR MANDADO DE PRISÁO CONTRA EDUARDO AZEREDO

 

PGR APRESENTA DENÚNCIA CONTRA PIMENTEL NO STJ

 

 

DEPUTADOS ACERTAM TRÉGUA NO IMPEACHMENT DE PIMENTEL PARA VOTAR VETOS

 



Após 5 altas, Petrobras anuncia redução do preço do diesel e da gasolina


Publicado em: 22/05/2018
 

Desde que alterou sua política de preços, em julho do ano passado, a estatal passou a promover reajustes quase diários dos combustíveis

 

 

Com a política de preços para os combustíveis da Petrobras adota desde o ano passado, que altera quase diariamente o preço médio nas refinarias, os preços da gasolina e do diesel subiram nesta terça-feira, 22, mas terão queda já na quarta-feira, 23. A próxima redução será a primeira após cinco dias de altas consecutivas.

 

Com o reajuste que entrará em vigor nesta terça, o preço médio do litro da gasolina sem tributo nas refinarias será de R$ 2 0867, com alta de 0,90% em relação à média atual de R$ 2,0680. O valor médio nacional do litro do diesel subiu para R$ 2,3716, 0 97% maior do que a medida atual de R$ 2,3488.

 

Já com a queda na quarta-feira, 23, o preço médio do litro da gasolina sem tributo nas refinarias será de R$ 2,0433, com queda de 2,08% em relação à média atual de R$ 2,0867. No mês de maio, o combustível acumula alta de 13,6%. O valor médio nacional do litro do diesel caiu para R$ 2,3351, 1,54% menor do que a medida atual de R$ 2,3716. No mês, o produto acumula alta de 10,6%.

 

Alta acumulada

Desde que a Petrobras iniciou sua nova política de preços para os combustíveis, em 3 de julho do ano passado, o óleo diesel subiu 56,5% na refinaria, segundo cálculos do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE) – passou de R$ 1,5006 para R$ 2,3488 (sem contar os impostos). O aumento acompanhou a cotação do petróleo no mercado internacional, exatamente a intenção da estatal. Mas, para os caminhoneiros, essa alta vem tornando sua atividade inviável.

O governo fez uma reunião na noite da segunda-feira para discutir a questão, mas não conseguiu chegar a uma decisão. Nesta terça, haverá mais rodadas de reuniões.

A primeira delas será pela manhã, no Ministério da Fazenda, onde o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, recebe o presidente da Petrobras, Pedro Parente, e o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco. Eles deverão tentar encontrar uma forma de evitar oscilações tão frequentes no preço da gasolina e do diesel no mercado doméstico.

Sobe e desce

A Petrobras repassa a variação da cotação do petróleo no mercado internacional, para cima ou para baixo. Desde que alterou sua política de preços, em julho do ano passado, a estatal passou a promover reajustes quase diários dos combustíveis.

A companhia refuta que seja responsável pela alta de preços ao consumidor e diz que o valor cobrado pela empresa corresponde a cerca de um terço dos preços praticados nas bombas. Maior parte do valor cobrado pelo consumidor final engloba principalmente tributos, estaduais e municipais, além da margem de lucro para distribuidoras e revendedores.

Segundo a estatal, as revisões podem ou não refletir para o consumidor final – isso depende dos postos. Mas os donos de postos também apoiam a reivindicação dos caminhoneiros, pois dizem estar perdendo margens com os aumentos de preços.

(Portal Uai)