Powered by WP Bannerize

Notícias

Em Patos de Minas Tarifa do transporte público urbano sofre reajuste


Publicado em: 22/06/2015
 

Os usuários que utilizam o cartão Ande Fácil vão pagar 15 centavos mais caro. A passagem avulsa passa a custar R$ 2,50.

O usuário do transporte público urbano passa a pagar uma tarifa mais cara a partir desta segunda-feira (22). O reajuste foi aprovado pela Prefeitura de Patos de Minas por meio de decreto municipal. O aumento na tarifa é devido a alta no preço do combustível.

A tarifa avulsa para quem utiliza o serviço passa de R$ 2,25 para R$ 2,50. Já os usuários que possuem o cartão Ande Fácil e pagavam R$ 1,95 passam a pagar R$ 2,10. Os créditos do cartão eletrônico, adquiridos antes do reajuste, terão o mesmo valor por um prazo de 90 dias.

O decreto municipal 4.021 de 19 de Junho de 2015 foi aprovado pelo Conselho Municipal de Trânsito, que alega que o reajuste é devido a um aumento no preço do combustível. A passagem do transporte público urbano não sofria reajuste há sete anos.



Em Lagoa Formosa homem sofre tentativa de homicídio


Publicado em: 22/06/2015
 

Um homem sofreu uma tentativa de assassinato no final da tarde deste sábado (20), no bairro Santa Cruz, em Lagoa Formosa. Misael Ferreira dos Santos sofreu duas perfurações no abdômen e foi socorrido por uma ambulância até o Hospital Regional em Patos de Minas.

Segundo informações da polícia militar, eles receberam uma denúncia via 190 informando que havia um homem esfaqueado próximo ao loteamento Coelho. Os militares foram até o local e encontraram o indivíduo caído em meio a um matagal. Misael não quis passar nenhuma informação aos policiais que ajudasse a chegar aos autores do crime. A princípio, os militares levantaram que três pessoas teriam o agredido. Antes do fato ele estaria fazendo uso de bebida alcoólica no bairro Caxambú.


Texto : André Amâncio/PatosAgora.



Conmebol não alivia: Neymar pega quatro jogos de suspensão e está fora da Copa América


Publicado em: 20/06/2015
 

Quatro jogos. Esta é a suspensão concedida a Neymar pela Conmebol. No final da tarde desta sexta-feira, a entidade máxima do futebol sul-americano puniu o jogador de forma dura e tirou o astro Barcelona na competição. Além do castigo, o atacante recebeu uma multa de US$ 10 mil.

A decisão, no entanto, cabe recurso, a partir deste sábado. O departamento jurídico da Confederação Brasileira de Futebol dependerá da decisão do equatoriano Guillermo Saltos, presidente da Comitê de Apelação da Conmebol, e responsável por aceitar ou não a apelação.

O uruguaio Adrián Leiza, vice-presidente do tribunal de disciplina da entidade máxima do futebol sul-americano, foi o responsável por conduzir o caso ao lado do boliviano Alberto Lozada. O brasileiro Caio Cesar Rocha, que comanda o órgão, e colombiano Orlando Morales ficaram de fora do caso por envolver os seus países, assim como o chileno Carlos Tapia, já que o árbitro Enrique Osses nasceu no país sede da Copa América..

A CBF teve até o meio-dia desta sexta-feira para enviar em sua defesa.

A entidade reclamou que o ‘abuso de autoridade’ do juiz Enrique Osses, do bandeirinha Carlos Astroza e até mesmo do quarto árbitro Néstor Pitana desestabilizaram Neymar durante a partida. A acusação foi feita com base em relatos da comissão técnica e do próprio jogador.

Ele relatou ter sido chamado por diversas vezes de ‘piscinero’, em alusão em espanhol à sua fama de ‘cai-cai’.

Neymar foi expulso na última quarta-feira, logo após o apito final na derrota para a Colômbia, por 1 a 0, no Estádio Monumental, em Santiago. Ele tentou dar uma cabeçada num adversário e trocou empurrões com os colombianos. Antes, ele já havia recebido o cartão amarelo, o seu segundo no campeonato.

A Conmebol fez confusão no caso e anunciou por mais de uma vez versões contraditórias sobre a suspensão do craque.

A súmula assinada pelo árbitro chileno fala da confusão, o chute de Neymar na direção do colombiano Pablo Amero, do empurrão de Carlos Bacca e do craque brasileiro esperando Enrique Osses no vestiário.

O técnico Dunga admitiu na última quarta-feira que situações extracampo podem estar afetando o comportamento de Neymar. O atleta, seu pai e o Barcelona são investigados na Justiça da Espanha por suposta fraude em sua saída do Santos, em 2013. O agente do atacante, Wagner Ribeiro, nega que ele esteja nervoso e culpa a ‘ciumeira’ dos adversários.

No Chile, a sua postura é criticada por veículos locais, que o chamam de “insuportável” e “mimado”.

Ainda existe a possibilidade de recorrer da decisão na Câmara de Apelações da Conmebol.

fonte: http://www.msn.com



Coreia do Norte diz que tem a cura para Aids, Ebola e Mers


Publicado em: 19/06/2015
 

Sem provas, país anunciou nesta sexta-feira ter desenvolvido uma droga capaz de prevenir e curar diversas doenças a partir de ginseng.

 

A Coreia do Norte disse, nesta sexta-feira, que teve sucesso onde as maiores mentes da ciência falharam. O país anunciou ter desenvolvido uma droga que pode prevenir e curar a Aids, o Ebola, a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (Mers) e Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars), de acordo com informações publicadas pelo jornal The Telegraph.

A KCNA, agência de notícias oficial do país, disse que os cientistas desenvolveram a Kumdang-2 a partir de ginseng cultivado com fertilizante misturado com elementos de terras-raras.

De acordo com o site Minjok Tongshin, a droga foi originalmente produzida em 1996.

“Infecções de vírus mal-intencionados como a Sars, Ebola e Mers são doenças que estão relacionadas ao sistema imunológico, portanto podem ser facilmente tratadas pela droga injetável Kunmdang-2”, disse a KCNA.

A Coreia do Norte anunciou o mesmo medicamente durante os surtos de gripe aviária em 2006 e 2013.

A alegação do Norte vem enquanto a rival Coreia do Sul luta contra um surto de Mers, que já matou duas dezenas de pessoas e infectou mais de 160 desde o mês passado. Não existe vacina para a doença.



Entenda o que senadores brasileiros foram fazer na Venezuela


Publicado em: 19/06/2015
 

São Paulo – A viagem de uma comitiva de senadores brasileiros à Venezuela, ocorrida na tarde de ontem, acabou em mal-estar diplomático, com direito a nota do Itamaraty pedindo esclarecimentos ao governo venezuelano. Na linguagem da diplomacia, isso é mais grave do que parece.

Mas, afinal, o que os senadores brasileiros foram fazer lá, e o que deu errado com a visita?

 

Liderada pelos tucanos Aécio Neves (PSDB-MG) e Aloysio Nunes (PSDB-SP), a comitiva tinha o objetivo de visitar o líder opositor venezuelano Leopoldo López, detido há mais de um ano na prisão militar de Ramo Verde. Os senadores também pretendiam ver de perto como está a situação política do país, que vive um momento de profunda instabilidade política.

Porém, o grupo brasileiro não conseguiu chegar à prisão onde está López. Segundo relatos dos próprios parlamentares, o caminho entre o aeroporto e o local da visita estava bloqueado, e o ônibus que levaria os senadores chegou a ser apedrejado por manifestantes favoráveis ao governo de Nicolás Maduro.

A comitiva era formada por parlamentares de oposição ao governo Dilma. Além dos líderes tucanos estavam também Ricardo Ferraço (PMDB-ES), Sérgio Petecão (PSD-AC), Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), José Medeiros (PPS-MT), Ronaldo Caiado (DEM-GO) e José Agripino (DEM-RN).

Após as hostilidades, o grupo de senadores decidiu voltar para o Brasil sem concluir a visita.

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, o fracasso da comitiva foi motivo de deboche do vice-presidente venezuelano Jorge Arreaza. “Se os senadores estão aqui, é porque não têm muito trabalho por lá [no Brasil]. Assim, umas horas a mais ou a menos, dá no mesmo”, teria dito em mensagem enviada para a mulher do opositor Leopoldo López.

No lado brasileiro, o episódio gerou críticas do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e do Ministério das Relações Exteriores.

Em texto aprovado pela presidente Dilma Rousseff, o Itamaraty afirmou que “são inaceitáveis atos hostis de manifestantes contra parlamentares brasileiros”. O órgão diz ainda que “solicitará ao governo venezuelano, pelos canais diplomáticos, os devidos esclarecimentos sobre o ocorrido”.

fonte: http://www.msn.com