Powered by WP Bannerize

Mitos sobre sexo: muita coisa que você ouve por aí pode ser balela

Publicado em: 25/05/2018
 

Por mais que você seja um rapaz instruído e com um currículo sexual respei­tável, há sempre o que aprender sobre esse assunto

 

Há muita mentira sendo dita e repetida por aí, especialmente em relação às mulheres.

 

Não caia nessas histórias.

 

Mulheres não gozam com penetração

Algumas gozam, sim. Mas a maioria delas chega ao orgasmo com estimulação clitoriana.

 

Algumas inclusive demoram para atingir o clímax, o que exigirá de você um certo empenho no sexo oral.

 

Para facilitar, alterne com estimulação manual.

 

Agora, se você já entendeu que o corpo feminino e a resposta sexual da mulher são diferentes, então sua dose de humildade só lhe trará louros: que tal deixar ela mesma estimular o clitóris enquanto você se preocupa com a penetração? Sacou?

 

Elas só gozam com estimulação clitoriana

Também não é verdade absoluta. Algumas mulheres têm orgasmos com a penetração — a posição em que ela fica por cima é uma das que mais favorecem o orgasmo nessa modalidade.

 

Portanto, auxilie sua parceira segurando-lhe o quadril para dar sustentação, mas deixe que ela se movimente livremente a fim de encontrar um bom caminho.

 

Variar algumas posições ao longo da relação também favorece descobertas.

 

Mulheres grávidas não gostam de sexo

A gravidez deixa os genitais femininos mais irrigados pelo sangue, o que favorece orgasmos intensos.

 

É preciso ter cuidado com os mamilos, que estão sensíveis demais, e com a posição sexual, dependendo do tempo da gestação.

 

Desde que ela esteja se sentindo bem e não tenha nenhuma intercorrência gestacional que impeça a relação sexual e o orgasmo, esqueça questões como “machucar o bebê” ou “provocar problemas”.

 

Mesmo grávida, a mulher gosta de ser desejada sexualmente.

 

Nenhuma mulher gosta de sexo anal

Há as que gostam, as que detestam, as que nunca experimentaram e têm receio ou curiosidade.

 

Na média das que praticam, é mais ou menos assim: elas não o fazem sempre, preferem quando a excitação é grande, logo após terem um orgasmo, pois estão relaxadas, quando o sistema digestivo está funcionando bem e, principalmente, quando o parceiro não tem pressa.

 

Lembre-se de que estamos falando de uma região bem mais sensível, que não tem lubrificação natural.

 

Lá uma aproximação afoita ou mais vigorosa, sem lubrificante, pode realmente machucar. Tem interesse no assunto? Leia O Prazer Secreto, de Celso Marzano.

(Ana Canosa // Abril.com)