Powered by WP Bannerize

Ministério Público de Minas lança edital para comprar 188 carros, picapes e caminhões

Publicado em: 02/07/2018
 

A Procuradoria Geral de Justiça de Minas Gerais, que chefia o Ministério Público Estadual, pretende reforçar a sua frota veicular comprando 188 novos carros. O número é quase o dobro da atual quantidade de veículos passíveis de alienação existentes no órgão: 91 carros, picapes e caminhões. E essa aquisição contrasta com o atual momento financeiro complicado por qual passa o Estado. O pregão eletrônico, de menor preço, vai ser realizado nesta segunda-feira (2). O Aparte enviou diversos questionamentos para a assessoria de imprensa do MPMG sobre essa licitação, mas nenhum deles foi respondido.

 

Entre os veículos que a Procuradoria pretende comprar, constam 120 carros sedãs, com quatro portas e cinco lugares, potência mínima de 90 cavalos, ar-condicionado, direção hidráulica, elétrica ou eletroassistida, com jogo de tapetes para assoalho, protetor de cárter, rádio MP3 com entrada USB e dispositivo bluetooth. O edital também aponta que 20% das exigências citadas podem ser flexibilizadas.

 

Há, ainda, outras dez unidades de carros sedãs de nível executivo – ou seja, com ainda mais funções. O órgão também pretende adquirir dez veículos do tipo picape, dez vans do tipo minibus, cinco caminhões pequenos, cinco caminhões 3/4, dez veículos utilitários com sete lugares, dez furgões pequenos, dois furgões extralongos, três peruas e três veículos de passageiro e de carga. Apesar do detalhamento, o edital não estipula ou especifica preços máximos para cada um dos lotes de veículos.

 

Na licitação aberta pela Procuradoria para a compra dos veículos, uma das justificativas sobre a necessidade da aquisição em massa seria justamente as condições dos carros que já constam na entidade. “Há 91 veículos integrantes da frota oficial já passíveis de alienação, seja por estarem bastante desgastados, seja pelo seu longo tempo de uso, o que justifica a necessidade da renovação para assegurar o necessário aprimoramento da qualidade do serviço prestado”, mostra trecho do edital.

 

Ainda segundo o texto, os automóveis serão adquiridos para complementar e renovar parcialmente a frota de veículos oficiais do órgão no intuito de “suprir adequadamente as demandas de solicitação de deslocamento recebidas pela divisão de transportes na capital (mineira), bem como para atender à necessidade de veículos por parte das diversas unidades do MPMG no Estado”. É dito também que a modalidade do pregão, de registro de preços, se dá porque a divisão de transportes passa por um processo de reestruturação, “sendo que a renovação da frota vai se dar de acordo com o desenvolvimento do referido processo, bem como com a paulatina alocação de recursos financeiros”.

 

Na última quinta-feira, o Aparte enviou vários questionamentos para a assessoria de imprensa do Ministério Público de Minas Gerais, mas não recebeu nenhuma resposta. A coluna perguntou qual é a atual frota de veículos do MPMG e da Procuradoria; o motivo das retificações por qual passaram o edital do pregão; e por que a entidade pretende comprar 188 veículos, já que 91 deles estão passíveis de alienação. Também foi indagado ao órgão quantos e quais veículos a serem adquiridos vão ser destinados para o uso geral do MPMG e para a Procuradoria; e ainda quantos e quais desses veículos serão destinados para uso exclusivo de procuradores e promotores. Outra pergunta que ficou sem resposta foi a de qual era a estimativa de custo dessa licitação. O orçamento do órgão é proveniente do Estado, que passa por uma crise financeira. (Fransciny Alves)

(O tempo)