Powered by WP Bannerize

II Fórum Mundial do Café será no Brasil em 2019

Publicado em: 13/07/2017
 

MEDELLIN – COLÔMBIA: Foi encerrado no final da tarde de quarta-feira, 12/06, em Medellin na Colômbia, o I Fórum Mundial do Café que teve a participação de quase 1.500 cafeicultores de mais de países das Américas, África e Ásia do em.  Participaram também presidentes da Colômbia, Costa Rica, Honduras e vice da Nicarágua. Ainda o ex-presidente norte americano Bilk Clinton.

O Patrocínio Online foi o único site Brasileiro presente no evento Também esteve presente a TV do Canal Rural.

Brasil sedia Fórum Mundial do Café daqui a dois anos

O Presidente do Conselho Nacional do Café, Silas Brasileiro, depois que foram anunciadas as prioridades da cafeicultura mundial, e depois do discurso de Roberto Vélez Vallejo CEO da Federação Colombiana dos Cultivadores do Café, quebrou o protocolo, já no encerramento do evento e pediu a palavra e disse que o Brasil é candidato a sediar o evento em 2019, sendo muito aplaudido por representantes da cafeicultura do mundo todo, praticamente uma aprovação sumária do Brasil, maior produtor mundial, para sediar o importante evento.

 

O  II Fórum Mundial do Café será no Brasil em 2019, que foi confirmada por Dr. Vanusia Nogueira da BCSA (Associação Brasileira de Cafés Especiais) e Silas Brasileiro do CNC (Conselho Nacional do Café).

Veja o vídeo abaixo.

O Brasil enviou mais de 100 representares ao evento, sendo uma das maiores comitivas, depois dos anfitriões. Boa parte dos Brasileiros é da região produtora do Cerrado Mineiro.

 

E a presença maciço dos brasileiros, principalmente da região do Cerrado, foi um dos fatores determinantes para o Brasil a ser indicado. África e México nos bastidores também pleiteavam sediar o importante evento

Veja abaixo as entrevista com Francisco Sérgio de Assis, Presidente da Federação dos Cafeicultores do Cerrado, e de Ricardo Bartolo, presidente da Expocaccer.

Os cafeicultores e dirigentes do Café do Cerrado também participaram ativamente e decisivamente das quatro mesas de trabalho:

Produção / Produtividade;
Volatilidade De Preços
Mão-De-Obra e Mudança Geracional
Mudanças Climáticas

Cada sala/grupo de trabalho teve um moderador profissional e um secretário que facilitaram o diálogo que abordou os problemas, ações coletivas e políticas públicas. Os diferentes elos da cadeia de valor do café (produtores, exportadores, importadores, torrefadores, comerciantes, ONGs, etc.) foram representados nos diferentes grupos de trabalho. Cada grupo criou um diagnóstico partilhado dos principais desafios enfrentados pela cadeia e fazer recomendações para a sua resolução coletiva no futuro. No final da sessão, os moderadores e secretários  organizaram as conclusões gerais e recomendações a serem aprovadas por cada grupo e apresentadas mais tarde na sessão do plenário.