Powered by WP Bannerize

Governo não divulga escala de julho e ainda deve parcela de maio a aposentados

Publicado em: 05/07/2018
 

Na véspera do quinto dia útil do mês de julho, o Governo de Minas ainda não concluiu o pagamento da terceira parcela referente ao mês de maio para servidores aposentados que recebem mais de R$ 6 mil. O atraso do atraso deixa milhares de pessoas desesperadas.

 

CLIQUE AQUI E OUÇA AS INFORMAÇÕES COM EDILENE LOPES!

 

Servidores ligam sem parar para a redação da Rádio Itatiaia em busca de uma posição oficial do governo. Alguns chegam a chorar, dizendo que precisam do dinheiro para necessidades essenciais, como alimentação, contas de luz e água e remédios.

 

Além do atraso referente ao mês de maio, o cronograma de pagamento para este mês ainda não foi divulgado. Questionada, a Secretaria de Fazenda fica em silêncio sobre a situação.

 

“Até o presente momento, o governo não anunciou a escala de pagamento do mês de junho, que é paga no início de julho. A nossa preocupação é de mais atraso em cima de atraso. Veja que até agora não acertaram o mês de maio com os aposentados”, lamenta Geraldo Henrique, diretor do Sindicato dos Trabalhadores e Servidores Públicos do Estado.

 

Apesar de o secretário Helvécio Magalhães ter dito que não há previsão para divulgação da escala de julho, fontes do governo afirmam que o trabalho interno é para divulgar as datas ainda nesta semana.

 

 

Codemig 

Dois processos que o governo de Minas tenta viabilizar para quitar dívidas e, assim, regularizar o pagamento do servidor do Estado estão paralisados.

 

Um deles trata-se da venda de 49% das ações da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), e o outro de um empréstimo – que seria feito por meio da companhia – para arrecadar cerca de R$ 2 bilhões para o Estado.

 

O problema é que o ano eleitoral deve atrasar ainda mais o andamento desses processos, segundo o presidente da Codemig, Marco Antônio Castelo Branco.

 

Ainda não há, oficialmente, uma avaliação sobre o volume de recursos que o Estado poderá obter com as vendas das ações da Codemig, mas a estimativa é de que o valor seria de até R$ 3 bilhões.

 

A principal arrecadação da companhia vem da exploração de nióbio, em Araxá, onde a empresa detém o direito sobre uma reserva.

(Itatiaia)