Powered by WP Bannerize

Evitar queimadas: bom para o meio ambiente e para o produtor rural

Publicado em: 01/08/2014
 

As queimadas são tragédias ecológicas que acontecem em grande parte do território brasileiro, todos os anos, principalmente, durante a época de estiagem. Com a vegetação ressecada pela falta de chuva, qualquer fagulha pode detonar uma catástrofe, dizimando enormes áreas de vegetação e matando uma grande quantidade de animais. Além disso, o prejuízo pode se estender por áreas produtivas, como pastagens, lavouras ou, até mesmo, áreas habitadas.

Outro aspecto muito importante que diz respeito às queimadas é que os gases emanados atuam no efeito estufa, assunto que tanto preocupa toda a comunidade internacional. Monitorados por satélites, os focos de queimadas no Brasil estão crescendo em um ritmo alarmante, causando a emissão de toneladas de gases que contribuem para o aumento do efeito estufa, responsável pelo aquecimento global, mudanças climáticas e outras possíveis devastações ecológicas.

O aspecto mais preocupante no que diz respeito à natureza das queimadas, no Brasil, é que a maior parte delas poderia ser evitada ou minimizada, pois são diretamente causadas pela irresponsabilidade de produtores rurais que ateiam fogo em pastagens, na colheita de cana ou lavouras, para, posteriormente, iniciar uma nova cultura no local. Além disso, há, também, o descaso e o descuido que as provocam, como um simples cigarro aceso jogado da janela de um automóvel, à beira de uma estrada ou, ainda, a criminosa prática de “soltar balões”, principalmente, durante a época das secas.

O que queremos ressaltar é a importância da responsabilidade de cada produtor rural, individualmente, policiar sua propriedade e região. Isto é vital, pois sem a ajuda deles, as autoridades pouco podem fazer para conter o avanço da devastação. Existem algumas providências simples que podem ajudar na prevenção de acidentes que acarretam grandes queimadas e incêndios.

Podemos citar, por exemplo, as seguintes:

– nunca realizar queimadas em pastos ou lavouras, mesmo que, aparentemente, seja algo totalmente controlável;

– proibir os funcionários de fumar nos pastos e nas lavouras. Isso é bastante difícil, mas sempre surte algum efeito, pois alguns se intimidam diante da possibilidade de perder o emprego, caso sejam descobertos;

– quando uma determinada área apresentar a vegetação muito seca, se possível, deve-se “regar” ou molha-la, não totalmente, mas em pontos estratégicos, visando prevenir ou ajudar a conter um possível incêndio;

– Capinar, preventivamente, faixas de terra, deixando-as totalmente limpas e usando-as para isolar outras áreas com o perigo iminente de ocorrência de incêndios.

Existe um grande número de medidas preventivas que podem e devem ser tomadas. É aconselhável que se procure o grupamento de bombeiros da região, para se obter orientação preventiva e, se possível, que todas as pessoas envolvidas no trabalho da propriedade rural assistam às instruções dadas pelos bombeiros. Esta é a primeira e mais importante medida de segurança que o produtor rural deve tomar, para evitar prejuízos com as queimadas e para, conscientemente, ajudar na proteção ambiental.

Fonte: Rural News