Cáries podem ser transmitidas! Entenda quem está em risco

Publicado em: 03/07/2017
 

Muitas pessoas se preocupam se cárie é uma situação transmissível. A cárie é o resultado da “corrosão” do dente pela ação de ácidos. Por isso, não podemos dizer que a cárie seja “transmitida” de pessoa para pessoa, mas bactérias podem passar de uma boca para outra, já que a boca é como um ecossistema que abriga diferentes micro-organismos. Normalmente essa passagem ocorre por beijo, uso de talheres, escova de dente, outros objetos contaminados pela saliva e por ingestão de certos alimentos.

 

Os diversos microrganismos presentes na boca fazem parte da flora bucal e são importantes para nossa saúde: nem todas as bactérias causam danos.

 

Algumas bactérias são cariogênicas, como por exemplo: Streptococcus mutans, Lactobacillus spp., Actinomyces spp. Essas bactérias armazenam e metabolizam o açúcar, produzindo ácidos. São esses ácidos que lentamente vão dissolvendo o dente e é assim que o açúcar ingerido colabora no aparecimento de cáries.

 

Algumas bactérias são cariogênicas, como por exemplo: Streptococcus mutansLactobacillus spp.Actinomyces spp. Essas bactérias armazenam e metabolizam o açúcar, produzindo ácidos. São esses ácidos que lentamente vão dissolvendo o dente e é assim que o açúcar ingerido colabora no aparecimento de cáries.

 

Mas qualquer um pode transmitir cáries dessa forma?

O ecossistema bucal é influenciado pela dieta e hábitos e por isso é diferente em cada pessoa. Por causa dessas diferenças, nem sempre as bactérias transmitidas encontram condições favoráveis para se multiplicar. Por isso que não é todo contato salivar que causa cáries.

Algumas pessoas tem um ambiente na boca que favorece o crescimento de bactérias cariogênicas, ficando por isso sujeitas e ter caries com mais facilidade. Para controlar o aparecimento de caries em pessoas assim, é preciso reduzir drasticamente a ingestão de açúcar, eliminar todos os pontos de carie rapidamente, controlar muito a higiene, consultar o dentista com frequência.

 

Cuidado maior com as crianças

A criança quando nasce não tem bactérias na boca. As bactérias vão se instalando pelo contato com as pessoas e com tudo que ela leva a boca. Assim ela a vai desenvolvendo sua microflora de acordo com seus hábitos alimentares, hábitos de higiene e constituição de sua saliva. Quanto mais tarde a criança entrar em contato com o açúcar, maior é a chance dela chegar a vida adulta sem cárie.

Resultado de imagem para imagens de cárie

O açúcar está presente não só no açucareiro, mas em vários alimentos industrializados, inclusive nos salgados. É importante estar atento aos rótulos e observar que, infelizmente, a indústria vem colocando açúcar em quase tudo e em quantidade cada vez maior.

 

Entenda como interpretar os rótulos: a lista de ingredientes vem escrita em ordem decrescente, ou seja, o item de maior de quantidade aparece primeiro e o de menor quantidade aparece por ultimo. Se o açúcar está entre os primeiros da lista, a sua concentração nesse alimento é grande. Tenha um cuidado especial na leitura do rótulo, já que o açúcar pode aparecer com outros nomes como açúcar mascavo, açúcar cristal, mel, xarope, melado, glicose, dextrose, maltose

 

Controlar a ingestão diária de açúcar trás muitos benefícios, como a melhoria do controle do peso corporal, prevenção do sobrepeso e obesidade, prevenção de diabetes tipo II. As novas diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendam que apenas 5% do total de calorias ingeridas venham do açúcar. Essa taxa equivale a 25 gramas de açúcar por dia (cerca de seis colheres de chá). Por isso, controle a quantidade de açúcar nos alimentos e preserve a sua saúde e a de sua família.

(msn)