Alimentos probióticos, prebióticos e simbióticos … afinal o que são?

Publicado em: 04/08/2017
 

Saúde intestinal e bactérias

Muito se tem ouvido falar em probióticos, prebióticos e simbióticos. Mas afinal, o que são eles?

 

Para entender o que são, antes de mais nada, é necessário entender um pouco sobre o intestino.

 

O corpo humano possui mais de 100 trilhões de micro-organismos, sendo grande parte bactérias e sendo a maior parte presente no intestino. Porém, é interessante destacar que nem só de bactérias benéficas é habitado o intestino.

 

A flora intestinal possui tanto bactérias benéficas para a saúde do organismo, mas também bactérias maléficas. Quando estas bactérias estão em equilíbrio, dizemos que o intestino está em simbiose. Mas, quando as bactérias maléficas estão predominantes no intestino, nosso corpo está em DISBIOSE.

 

É interessante destacar que bebês que nascem de cesárea possuem menor quantidade de bifidobactérias e lactobacillus (bactérias boas) que um bebê que nasce de parto normal e que bebês que são amamentados exclusivamente com leite materno possuem quantidade muito maior de bactérias benéficas no seu intestino. Ou seja, desde muito cedo nossa saúde intestinal é afetada por diversos fatores.

 

E como controlar o aumento das bactérias maléficas ao organismo?

 

Fatores como estilo de vida (má alimentação, sedentarismo, fumo), uso de antibióticos, ingestão de bebidas alcóolicas dentre outros criam um ambiente favorável para as bactérias ruins se proliferarem. Portanto, se atentar à esses itens, é fundamental. Como na vida atribulada de hoje, esses fatores estão muito presentes, podemos fazer uso de suplementos pré, pró e simbióticos.

 

Assim, os prebióticos seriam o “alimento” para auxiliar no crescimento das bactérias do bem. Os probióticos seriam as bactérias propriamente ditas. E os simbióticos, uma junção dos dois.

 

Um organismo em disbiose pode apresentar sinais como constipação intestinal (intestino preso), diarréia, distensão abdominal, gases, dentre outros. Se você apresenta com frequência tais sintomas, é recomendado dar uma atenção maior ao intestino e buscar ajuda de um nutricionista. Neste caso, o uso destes suplementos anteriormente citados é de grande importância para repor, aumentar e melhorar a flora intestinal.

 

Impacto do comportamento na saúde

A especialista Dani Caparros explica que, “Melhorar a função intestinal é melhorar a saúde como um todo. Se o intestino não funciona da forma adequada a pele fica pior, a imunidade comprometida, a absorção de alguns nutrientes ocorre de forma ineficiente e muitas pesquisas apontam relação da microbiota intestinal com obesidade e outras doenças. Para ter um intestino saudável, ainda é importante não esquecer das fibras e da água. Atente-se ao seu intestino e tenha uma vida mais saudável”

Equipe Comportamento e Saúde  – Dani Caparros

 

 

Probióticos

São produtos cheios de bactérias saudáveis. Alguns iogurtes, queijos e o leite fermentado fazem parte da classe – também é possível encontrar probióticos em sachês e cápsulas. Os bichinhos, como lactobacilos e bifidobactérias, favorecem o trânsito intestinal, cooperam para o aproveitamento de vitaminas e defendem a região de intrusos.

 

Prebióticos

Podem ser definidos como o alimento para as bactérias da microbiota trabalharem direito. O sistema digestivo não consegue quebrar as fibras das comidas de origem vegetal, caso da cebola, do alho e da aveia. Os micróbios devoram esses compostos e, a partir deles, produzem substâncias benéficas à nossa saúde.

Simbióticos

A nova classe oferece o pacote completo: alia probióticos e prebióticos num único item. Produtos como alguns lácteos, biscoitos e suplementos entram na categoria – mas seu consumo, por enquanto, deve ser prescrito por um profissional. É que os simbióticos ainda são objeto de discussão: não se tem certeza dos efeitos que teriam no corpo.

(saúde.abril)